Destaque Inferior - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

O pouco com amor é muito

Empresas e clientes unidos para ajudar no tratamento contra o câncer no Hospital de Câncer de Pernambuco

  • SOU CLIENTE E QUERO DOAR
  • SOU EMPRESÁRIO E QUERO CONTRIBUIR
  • CONTINUAR PARA O SITE

Destaque Inferior

Notícias quem ficam no destaque inferior da página inicial

destaqueintranet.png

Pode parecer um ato simples, mas a higienização das mãos é uma das ações mais eficazes para redução da transmissão de microrganismos causadores de doenças infecciosas. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), infecções relacionadas à assistência à saúde afetam milhões de pacientes e têm um impacto significativo nos doentes e nos sistemas de saúde em todo o mundo. Por isso, a OMS, desde 2007, instituiu o 5 de maio como o Dia Mundial de Higienização das Mãos, para criar um alerta sobre esse ato tão importante. Ainda, o ato de higienizar as mãos corretamente é umas das Metas Internacionais de Segurança do Paciente, Reduzir o Risco de Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde (Meta 05).

Sabe-se que a maioria das gripes, resfriados, hepatites, intoxicação alimentar, infecções hospitalares e, até mesmo, a Covid-19 são transmitidas pelas mãos contaminadas. A higienização das mãos ganhou bastante atenção no mundo todo com a pandemia do novo coronavírus, mas essa atitude de higiene considerada básica sempre foi muito incentivada, tanto os profissionais de saúde quanto a comunidade, por meio de uma medida simples como esta, podem desempenhar um importante papel na prevenção destas infecções.

Ação no HCP

No Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), a equipe do departamento da Qualidade vem desenvolvendo diversas ações internas com o objetivo de fazer esse importante alerta. Neste ano, em visitas aos departamentos, reforçaram a adesão à prática de lavar as mãos como medida essencial para a prevenção e o controle das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (Iras). Em uma dinâmica muito divertida, foi ensinada a forma correta de lavagem das mãos. Vendado, o colaborador (a) vestia uma luva e recebia um pouco de tinta em suas mãos. Ao movimenta-las simulando a lavagem, era possível verificar as áreas que não foram bem higienizadas, mostrando a importância de lavagem ser feita corretamente.

IMG_0109.JPG

IMG_0230.JPG

Para lavar as mãos de forma correta, eliminando os germes e bactérias é preciso seguir alguns passos.  É importante destacar que lavar apenas com água não é a forma certa, é necessário o uso do sabão e o processo dura de 30 a 40 segundos. A higiene deve ser frequente e realizada com sabonete líquido, água corrente e álcool em gel. Assim, tanto os profissionais de saúde quanto a população, por meio de uma medida simples como esta, podem desenvolver um papel importante na prevenção das infecções.

IMG_0124.JPG

IMG_0180.JPG

Na próxima semana, entre os dias 12 e 13, a equipe da Qualidade, com o apoio do departamento de Comunicação e Marketing, gravaram o nome vídeo de lavagem das mãos da instituição. 

listadetransmissão03.png

 

vacaciones.JPG

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) está promovendo uma série de orientações sobre o serviço realizado pelo setor no Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), que trabalha exclusivamente com a doação de córneas (único órgão que pode ser transplantado de um paciente oncológico). As visitas começaram no dia 11 de abril e continuam até o próximo dia 22.

As orientações têm o objetivo de explicar aos colaboradores da assistência sobre como o CIHDOTT atua no acolhimento das família que podem ser doadoras de córneas. “Essas orientações são muito importantes para fazer com que os profissionais conheçam melhor o nosso setor, assim como temos a oportunidade de desmistificar algumas ideias a respeito do nosso serviço”,  diz Gabriela Prado, enfermeira da comissão.

cihdott1.JPG

O departamento gerencia todo o processo de doação e captação de córneas, incluindo a realização da abordagem e prestação de esclarecimentos aos familiares sobre o potencial doador. A doação da córnea só é feita após aceitação da família, com preenchimento da documentação legal.

Em Pernambuco, a Comissão Intra-hospitalar de Doação de órgãos e Tecidos para Transplante também atua no Hospital da Restauração, Hospital Pelópidas Silveira, PROCAPE, Hospital Oswaldo Cruz, IMIP, Hospital das Clínicas, Hospital Getúlio Vargas, Hospital Dom Helder, Hospital Miguel Arraes, Hospital Jayme da Fonte, Hospital Memorial São José, Hospital Agamenon Magalhães, Hospital Regional do Agreste, Hospital Mestre Vitalino, Hospital Dom Malan, Real Hospital Português e Hospital Santa Joana.

Como ser um doador de órgãos

Para se tornar um doador basta conversar com a família e deixar claro o interesse.

cihdott.JPG

fellow.jpg

Após as apresentações dos trabalhos dos médicos que participaram do Programa Fellowship em Neurocirurgia nos últimos dois anos no Hospital e Câncer de Pernambuco (HCP), foi a vez de oficializar o encerramento com uma cerimônia simbólica realizada neste mês. O neurocirurgião Bruno Leiming recebeu das mãos do coordenador do serviço de Neurocirurgia Oncológica do HCP, Dr. Frederico Tavares de Lima, o certificado de conclusão do programa de formação profissional. 

Bruno Leiming concluiu o programa em 31 de março. Ele conta que o período em que esteve no HCP foi de muitos aprendizados, mesmo em anos desafiadores em razão da pandemia de covid-19. 

"Estou muito grato por tudo que vivi no HCP e por toda a equipe. Apesar da pandemia, tivemos muito trabalho com a realização de uma média de 220 cirurgias em 2021, quase o dobro do ano anterior. Foi muito cansativo, mas valeu a pena. Hospital de Câncer de Pernambuco é uma referência no estado e ter tido essa experiência na minha profissão foi inesquecível", disse. 

O programa

Fruto do investimento em ensino e pesquisa na formação de profissionais, o Fellowship em Neurocirurgia Oncológica irá proporcionar a vivência no serviço de Neurocirurgia do HCP no período de 1 ano. Na instituição, o participante irá compartilhar conhecimento com profissionais especialistas na área. Para a programação, estão previstas atividades de cirurgias endoscópicas, cirurgias de alta complexidade, atividades científicas e um observeship não remunerado opcional no Swedish Neuroscience Institute em Seattle (Whashington, EUA). 

Ao final do programa, o profissional apresenta sua monografia para estar apto a realizar procedimentos de alta complexidade em oncologia.

fellow2.JPG

fellow3.JPG

capa.JPG

Em alusão à campanha Abril pela Segurança do Paciente, o setor da Qualidade promoveu dois dias de palestras voltadas para a segurança no uso de medicamentos oncológicos. A ação teve início na terça-feira (12), na biblioteca de Ensino e Pesquisa. 

O objetivo da atividade é reforçar para os profissionais da assistência do HCP a importância do processo de segurança na prescrição, distribuição, administração, monitoramento e uso dos medicamentos. Para ministrar as palestras, foram convidadas Silvana Helena, Layse Raynara e Kelyanne Modesto, todas representando a farmácia oncológica da instituição. 

Após as palestras, técnicos de enfermagem, enfermeiros e outros profissionais da assistência participaram de dinâmicas educativas sobre o tema.  

A campanha

Buscando assegurar o melhor atendimento e cuidados possíveis aos pacientes, a campanha Abril pela Segurança do Paciente - que este ano traz o tema 'O autocuidado está em suas mãos', existe para conscientizar profissionais de saúde, gestores, pacientes e acompanhantes como um todo, sobre a  adoção de práticas de segurança do paciente dentro das instituições de saúde. 

materia2.JPG

materia4.JPG

materia1.JPG

segurança do paciente.JPG

JIPEIROS.jpg

Com o mote “Ajudando a quem precisa”, o grupo de jipeiros 4x4 Recife trouxe para o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), a doação de 88 cestas básicas, além de mais de 300kg de alimentos não perecíveis, resultado da Festa dos Jipeiros e Veículos Militares de Pernambuco (FEJIVEM/PE), evento solidário realizado no último 02 de abril, data em que se comemorou o Dia do Jipeiro. 

Marcelo Moura um dos organizadores do evento e coordenador da 4x4 Recife, veio pessoalmente fazer a entrega dos alimentos não perecíveis. Para ele, poder contribuir com o HCP, é gratificante, principalmente por se tratar de um hospital filantrópico sem fins lucrativos. 

“Todos os alimentos foram arrecadados pela comunidade jipeira, entre participantes e patrocinadores da festa, que levaram cada um 1kg de alimento. E eu sei que ações como essa são muito importantes para o HCP, instituição que depende muito da ajuda da sociedade civil”, disse. Além das doações de alimentos, o grupo de jipeiros também doou para o HCP o valor de R$ 1.533.

alimentos.JPG

DESTAQUE-1.jpg

O câncer ósseo é considerado uma doença rara, correspondendo a não mais que 2% do total de todos os tipos de cânceres diagnosticados, mas que pode ser extremamente agressivo e com alto índice de mortalidade. Por essa razão, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) lança, em mais um ano, a campanha Abril Amarelo, desenvolvida pela própria instituição para conscientizar a todos e disseminar informações importantes relacionadas à doença. 

Criada pelo departamento de ortopedia do HCP, a campanha faz um alerta sobre esse câncer que atinge principalmente crianças, adolescentes e idosos, e não pode ser prevenida, sendo o diagnóstico precoce a melhor forma de garantir a qualidade de vida do paciente e até a cura. 

O câncer ósseo é um tumor maligno que acomete qualquer parte do osso, na maioria dos casos os ossos longos, como braços, coluna, coxa e bacia. Esse acometimento pode ocorrer diretamente no osso, chamado de tumor ósseo primário, ou através de uma metástase, chamado de tumor ósseo secundário. Geralmente, os tumores ósseos se localizam com mais predileção ao redor do joelho. “Entre os tumores primários, o osteossarcoma, o sarcoma de Ewing e o condrossarcoma são os mais comuns. Os dois primeiros, mais agressivos, são encontrados em crianças e adolescentes, especialmente na área ao redor do joelho. O condrossarcoma, por sua vez, é comum em adultos e costuma atingir a área da bacia. Adultos e idosos, no entanto, são mais acometidos por tumores metastáticos, ou seja, que são oriundos de outros tipos de câncer”, diz o Dr. Marcelo Souza, ortopedista do serviço de ortopedia oncológica do HCP. 

Diferente de outros tumores malignos, não existe prevenção para o câncer ósseo ou exames de rastreamento. 

“O que existe é a necessidade de, uma vez surgindo uma suspeita de um tumor ósseo, o paciente seja encaminhado o mais rápido possível para um centro de referência e assim ser realizado o diagnóstico precoce. Só o diagnóstico precoce pode salvar vidas e também evitar que um membro afetado por esse câncer seja amputado”, explica o especialista.

Em Pernambuco, o HCP é referência no atendimento e tratamento do câncer ósseo. A campanha também reforça que é preciso ficar atento aos sintomas como a dor intensa, principalmente à noite ou ao se mexer; inchaço nas articulações, com presença de nódulos; ossos que se quebram facilmente, febre, perda de peso sem razão aparente e cansaço. 

 

jeep.png

 

No Dia do Jipeiro, comemorado no próximo dia 02 de abril, os jipeiros de todo o Brasil reúnem-se em evento comemorativo com a temática “Ajudando quem precisa”, com entrada solidária em prol do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) – 1kg de alimento. 

O encontro será no Recife Outlet. Diversas atrações para você e para a família: pista off-road exclusiva, sorteio de brindes, praça de alimentação com área kids, infláveis e oficina de slimes, parcão gratuito para o seu dog e outras atrações. Ah! O churrasco e toldos estão liberados.

Vá com seu 4x4, aproveite e leve aquelas peças que só ocupam espaço na sua garagem, tais como pneus ou acessórios para vender ou trocar.

Serviço:

Dia do Jipeiro – Ajudando a quem precisa.

Data: 02/04/2022

Horário: das 9h às 17h

Local: Recife outlet - BR-232, Km 20, Moreno/PE

Ingresso: 1 Kg de alimento não perecível (Doe cestas básicas)

Informações: Marcelo Moura (MM) 81 99926.0000 ou Willian 99917.0930

 

 

 

 

jeep.jpeg

residente2.jpeg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) é um dos principais campos de residência médica, uni profissional e multiprofissional de Pernambuco. E a qualidade do ensino e pesquisa vem se desenvolvendo a cada ano. A prova disso são os trabalhos reconhecidos para além do HCP, como o recém-apresentado estudo sobre a “Percepção e Expectativas de Pacientes com Câncer acerca das Diretivas Antecipadas de Vontade”, publicado pela Revista Brasileira de Cancerologia, de autoria de Stefani Catarina Gois Santana, que acaba de concluir a residência em enfermagem na instituição.

A Revista Brasileira de Cancerologia (RBC) é uma das mais importantes do Brasil quando o assunto é oncologia. O periódico é publicado trimestralmente pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) e reúne diversas pesquisas científicas em saúde. Para Stefani, ter um trabalho em destaque na revista significa um importante reconhecimento:

“Demonstra a importância de preservar e respeitar a autonomia e dignidade do paciente com câncer, tópicos que devem ser abordados na prática clínica e inseridos na realidade de um hospital de referência. Estamos felizes com a publicação como uma forma de reconhecimento do trabalho”, disse.

Objetivo da pesquisa

A pesquisa, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), avaliou 346 dos pacientes em tratamento de câncer no HCP, e teve como orientador o Dr. Davi Câmara, médico do departamento de Cuidados Paliativos. O objetivo do estudo foi investigar a percepção e as expectativas de pacientes com câncer sobre o conceito e aplicabilidade das Diretivas Antecipadas de Vontade (DAV), que é um documento no qual diz quais os tratamentos o paciente deseja ou não receber, caso ele fique impossibilitado de se expressar por motivos de agravamento de saúde.

De acordo com o médico e orientador Dr. Davi Câmara, o DAV “é fundamental na construção de uma linha de cuidado ao respeitar a dignidade e desejos dos pacientes”.

“Foi um grato reconhecimento termos nosso trabalho publicado na Revista Brasileira de Cancerologia vinculada ao INCA. Esperamos que o tema seja cada vez mais debatido, tanto pela sociedade em geral e, especialmente, pelos profissionais de saúde, para que seu uso seja mais comum”. O especialista explica que a pesquisa contou com um método interessante ao utilizar um jogo para estimular a reflexão sobre o fim de vida nos pacientes assistidos pelo HCP. “Os resultados foram bastante reveladores e deverá contribuir para outras pesquisas sobre o tema”, completou.

Na conclusão do trabalho de Stefani, as diretivas antecipadas são positivas para o paciente.

“Na percepção desses pacientes, embora pouco conhecidas, as diretivas antecipadas se mostraram um instrumento capaz de preservar sua dignidade e autonomia. Os pacientes demonstraram interesse tanto por sua elaboração quanto por sua aplicabilidade. No entanto, esperaram receber mais informações e orientações dos profissionais em relação a essa temática”, diz o estudo.

Relevância institucional

Este ano, a turma do programa de residência em enfermagem finalizou mais um ciclo no HCP com a apresentação dos trabalhos de conclusão da residência (TCR). Segundo o coordenador do Programa de Residência de Enfermagem em Cancerologia, Roberto Bezerra, é uma alegria para toda a equipe de ensino e pesquisa, bem como para os concluintes da residência, ver um TCR ser submetido e aceito numa revista de renome como a RBC.

“Esse artigo vem para coroar um trabalho que vem sendo feito no HCP há alguns anos, que é o de sediar importantes pesquisas feitas pelos nossos residentes. É mais uma conquista que traz respaldo institucional em ensino e pesquisa, principalmente numa publicação no INCA, instituição de referência nacional em câncer”, celebrou.

Acesse o estudo na RBC neste link: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista

 

visita.jpeg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) recebeu uma doação em dinheiro referente à campanha do Dia Mundial do Combate ao Câncer, celebrado em fevereiro, e promovida pela Granplast, empresa que trabalha com produtos em plástico para construção e reforma. Na última semana, as duas coordenadoras de vendas e a supervisora de vendas vieram ao HCP para fazer a entrega do cheque simbólico e conhecer um pouco da instituição. 

Juliane Carvalho, gerente de captação de recursos, foi quem recebeu as representantes da empresa. Ela mostrou a alguns setores do hospital, como a triagem e os ambulatórios. "Ficamos muito felizes em ver empresas engajadas e preocupadas em nos ajudar a salvar vidas", celebrou. A quantia doada pela Granplast foi de mais de R$ 13 mil, valor obtido de parte do lucro das vendas da marca.

"Essa campanha tem o intuito de reverter parte do arrecadado nas vendas do nosso Assento Almofadado para o Hospital do Câncer de Pernambuco", anunciou a empresa no início da campanha. 

Ações como essa são muito importantes para o HCP, instituição que necessita constantemente da contribuição da sociedade para continuar oferecendo um tratamento digno e de qualidade para milhares de pacientes oncológicos no estado. 

visita2.jpeg

SAUDEBUCAL.jpg

A boca é fundamental no desempenho de funções importantes do corpo, como: a fala, a mastigação, deglutição e respiração. Além disso, manter um sorriso bem cuidado previne infecções e ajuda na estética dos dentes. No caso de pacientes em tratamento de câncer, principalmente de cânceres que afetam a cavidade oral, a atenção à saúde da boca é primordial durante o acompanhamento multidisciplinar. No Hospital de Câncer de Pernambuco, a equipe de odontologia realiza um trabalho diário e completo aos mais diversos pacientes oncológicos. Neste Dia Mundial da Saúde Bucal, o HCP reforça a importância da odontologia em casos de câncer.

Dois dos motivos pelos quais a odontologia está inserida no acompanhamento multidisciplinar ao paciente é que a quimioterapia e radioterapia tendem a agredir a cavidade oral, podendo até evoluir para um quadro de mucosite, uma inflamação na boca capaz de formar feridas e, consequentemente, provocar dificuldades na alimentação. O outro motivo é que há tumores específicos que atingem a região, como o de boca e orofaringe. "A equipe de odontologia oncológica está inserida no contexto do paciente com câncer de boca em várias situações. Primeiro no diagnóstico, feito por um estematologista, que encaminha o paciente para um cirurgião de cabeça e pescoço. Caso esse paciente também precise realizar radioterapia e quimioterapia, ele tem que passar por nossa equipe de odontologia pra que a gente realize o que chamamos de adequação de meio bucal", explica Dr. Igor Henrique estomatologista do Serviço de Odontologia e Próteses Reabilitadoras do HCP.

O especialista também frisa que as intervenções odontológicas, como restaurações e extrações, precisam ser feitas antes do tratamento oncológico.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostram que o câncer bucal é mais comum em homens com idade acima dos 40 anos. As regiões Sudeste e Sul apresentam as maiores taxas de incidência e de mortalidade da doença.

Cuidados antes do câncer de boca

Para além da higiene bucal, protege-se de agentes infecciosos como o HPV (Papiloma Vírus Humano) é importante, pois o vírus pode influenciar no surgimento do câncer de boca e orofaringe. Contra o vírus, a principal recomendação é o sexo oral protegido. Além disso, o tabagismo e o excesso de álcool são grandes fatores de risco para o câncer de boca. 

Reabilitação 

O departamento de odontologia oncológica também é responsável pela reabilitação na região bucal do paciente que sofreu complicações orais pelo tratamento. "Nossa principal reabilitação é a confecção de próteses dentais para pacientes ", acrescenta Dr. Igor Henrique.