Câncer de mama também atinge os homens: conheça a história de Daniel Lira - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

Câncer de mama também atinge os homens: conheça a história de Daniel Lira

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

daniellira-canceremhomens.jpeg

O câncer não é uma novidade para Daniel Lira (33 anos). Ao longo dos anos, em sua família, pai, mãe, tias e primas foram diagnosticadas com tipos diferentes da doença. Porém, foi em 2019 que Daniel recebeu o diagnóstico que mudou sua vida - aos 32 anos de idade, estava com um câncer de mama raro. “Eu sabia que homem poderia ter câncer de mama, mas nunca imaginei ser esse homem”, lembra. 

Desde a adolescência, Daniel convivia com uma ginecomastia – alteração hormonal que causou o crescimento da sua mama esquerda e, por isso, fazia exames frequentemente, inclusive a mamografia. Já adulto, ao fazer uma cirurgia plástica para a correção da mama, recebeu a notícia do diagnóstico de câncer pelo próprio cirurgião plástico. “Quando peguei o resultado da biópsia, foi um choque, uma confusão de sentimentos. Procurei o HCP para iniciar o tratamento, mas todos os exames mostraram que, a própria cirurgia plástica já tinha retirado todos os nódulos, graças a Deus. Ainda precisei de 25 sessões de radioterapia e hoje tomo medicação. Serei acompanhado pelos próximos cinco anos”, explica.

Casado, pai de dois filhos, Daniel se apegou a família para passar por todo esse processo. “No primeiro momento veio a preocupação. Em uma família onde o homem tem câncer de mama, a probabilidade dos parentes de primeiro grau também terem são grandes. Pensei nos meus filhos, não quero que eles venham a passar por isso”, recorda. Os familiares também foram os responsáveis pela força de Daniel. “Foi o apoio da família que me fez ter força para passar por tudo isso. Minha esposa, que fez de tudo para marcar meus médicos e exames, meus amigos e familiares me acompanhavam nas consultas, entre tantos outros que estiveram presentes nesse processo, incluindo os médicos que tive a oportunidade de conhecer”, destaca. 

Perguntado sobre o que mudou desde o diagnóstico, Daniel ressalta que vive uma nova vida. “Antes de saber que tinha câncer, não tinha muito cuidado com a minha alimentação e os exercícios físicos se resumiam a jogos de final de semana. Hoje tenho total atenção ao meu bem estar, principalmente a alimentação. Além disso, busco estar o mais presente que posso para a minha família. Quando não estou trabalhando ou treinando, estou com eles”.

Aos homens, Daniel tem uma mensagem muito importante. “Se cuidem. Façam seus exames e estejam atentos a qualquer alteração no seu corpo. Homem também tem câncer de mama e descobrir a doença no início vai fazer a diferença no seu tratamento. Lembre que sua família precisa de você, mas você precisa estar saudável para cuidar deles”, indaga. 

 

Saiba mais sobre o câncer de mama em homens clicando aqui