Com a presença de especialistas de vários países, reunião online da Urologia do HCP discute perspectivas de tratamento menos invasivo para pacientes com câncer de pênis - HCP - Hospital de Câncer de Pernambuco

O pouco com amor é muito

Empresas e clientes unidos para ajudar no tratamento contra o câncer no Hospital de Câncer de Pernambuco

  • SOU CLIENTE E QUERO DOAR
  • SOU EMPRESÁRIO E QUERO CONTRIBUIR
  • CONTINUAR PARA O SITE

Com a presença de especialistas de vários países, reunião online da Urologia do HCP discute perspectivas de tratamento menos invasivo para pacientes com câncer de pênis

Gostou? Compartilhe com seus amigos.

WhatsApp Image 2020-04-16 at 12.23.46.jpeg

 

 

Em tempos de pandemia, a equipe de Urologia Oncológica do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) tem se reinventado e prosseguido com suas reuniões clínicas de forma online, através da plataforma Zoom. A iniciativa tem atingido grandes proporções, tornando o HCP ainda mais reconhecido como referência em urologia. Na última quinta-feira (16), por exemplo, o encontro reuniu quase 80 urologistas e contou com a presença de renomados especialistas de vários países, com o objetivo de discutir as perspectivas de uma técnica menos invasiva no tratamento do câncer de pênis, criada pelo palestrante Marcos Tobias-Machado. “A ideia é adotar esse procedimento no HCP, o que torna a aula ainda mais relevante”, explica o urologista e supervisor do Fellowship em Urologia do HCP, dr. Luiz Henrique. 

Conhecida como Video Endoscopic Inguinal Lymphadenectomy (VEIL) –  Linfadenectomia Inguinal Videoendoscópica –, a técnica apresentada consiste em remover os linfonodos da região da virilha causados pela disseminação do câncer de pênis, através de três pequenas incisões feitas com o auxílio de pinças laparoscópicas. O procedimento é menos invasivo e previne complicações e infecções pós-cirúrgicas, diminuindo a morbidade sem afetar os resultados oncológicos. Os benefícios trazidos para o paciente são muitos, visto que a técnica normalmente adotada remove os linfonodos através de uma única incisão na região inguinal que vai desde a raiz do pênis até a lateral da coxa, trazendo, muitas vezes, complicações. Com a implantação da técnica no HCP, segundo dr. Luiz Henrique, “vamos oferecer um tratamento com mais eficácia e menos risco para os pacientes”, pontua.

O encontro proporcionou, ainda, outros resultados de grande impacto para a instituição: “Com a presença de profissionais de vários países, o hospital ganhou visibilidade internacional, o serviço de referência em urologia ganhou ainda mais notoriedade”, aponta o médico. Participante do Fellowship em Urologia do HCP, para o urologista Marcos Angelim – que conquistou a única vaga para o programa após longo um processo seletivo –, um dos maiores pontos positivos do encontro foi a possibilidade de interação entre os especialistas: "A reunião clínica nos moldes de videoconferência possibilitou o contato com as maiores autoridades mundiais de vídeocirurgia avançada na área de linfadenectomia inguinal. Tivemos a liberdade de fazer perguntas, discutir aspectos técnicos e planejar atividades futuras. O serviço de urologia do HCP ganhou muito com esta atividade", disse.

Na ocasião, estiveram presentes nomes de referência, como o professor Rene J. Sotelo (EUA), o cirurgião Victor Corona-montes (México) e o cirurgião Saleh S Elbaka (Egito).

 

WhatsApp Image 2020-04-16 at 12.23.46 (1).jpeg